Agricultura Artesanal

Uma das mais importantes tarefas que desempenhamos por aqui, sem dúvidas é o contato que temos com a Mãe através da Jardinagem. Toda a sutileza pertencente ao Espírito pode ser revelada pela Matéria, quando nos colocamos em serviço à Natureza.

A idéia é aplicarmos nossos esforços para resgatar essa integração. O manejo da matéria orgânica, o plantio e o cuidado de árvores, a observação da relva, a labuta com as hortaliças e muitas outras tarefas, vão nos mostrando o quão profunda é nossa relação com o ambiente natural. Obtemos alimento de uma qualidade inestimável quando participamos deste processo.

E esta é nossa oferta àqueles que se interessam pelo assunto. Por algumas horas semanais de trabalho no Jardim é possível tornarmo-nos responsáveis por boa parte dos alimentos que consumimos.

E por isso gostamos de chamar nosso estilo de agricultura como Artesanal. Seguem abaixo exemplos de insumos naturais, que caracterizam este processo.

  • Aproveitamento de toda sorte de vegetais. Para isso, temos muitas pilhas de lenha apodrecendo e pilhas de composto
  • Esterco caprino bem curtido
  • Esterco humano obtido em sanitário seco compostável
  • Turfa do córrego/brejo (desassoreamento)
  • Cinza de fogão à lenha e de fogueiras ocasionais
  • Fertilizantes líquidos formados a partir da combinção de esterco caprino, ervas e água
  • Urina humana
  • Bambu picado integralmente, nos fornecendo uma cobertura de solo de altíssima qualidade

Enfim, muita matéria que vem e volta para que o ciclo continue perfeito. Portanto, esse é nosso intuito, intervir de maneira integrada.

É sempre bom lembrar que esse é um processo de resgate. Os benefícios surgirão conforme a oferta individual e coletiva. Caso você esteja interessado em conhecer melhor e vivenciar esta proposta, venha e se encaixe neste movimento que clama pela União para tornar-se pleno.

 

 

Realizamos no sábado do dia 4 de abril, um mutirão para instalar este SAF (sistema agro-florestal) aqui no sítio. Esta atividade está ligada ao projeto Plantando Águas, que estamos participando como uma das famílias beneficiadas em nossa regional e que tem o propósito de instalar um SAF de 0,5ha, apelidado de pomar agro-florestal.

Contamos com a presença de vários irm@s, que vieram muito animados no espírito da doação. O dia estava muito propício para esta atividade e nos deixou livres para trabalhar até o entardecer. Ao final, conseguimos deixar uma pequena área de 500m² repleta de mudas de arbóreas bem plantadas, que ainda receberão uma coroa bem espessa de matéria seca, que as ajudará durante todo o período mais seco.

Alguns meses atrás, quando o sol e a chuva do verão tornaram nosso "chuchuzal" numa verdadeira selva, que comia os bonecos e sapatos das crianças, ficamos com a tarefa de cortar ele até o toco para mudar a cerca de lugar. No meio do matagal, não imaginei que ele estava produzindo tanto fruto, mas enquanto fomos cortando a trepadeira maluca. alimentamos as cabras e as crianças foram amontoando chuchu.  No final, juntamos algumas dúzias de chuchus! E curiosamente, descobrimos que as gatas adoram chuchu. Além dos frutos, elas mastigaram todas as rebrotas.

O quê fazer com tanto chuchu? Aqui em casa, gostamos de preservar nossas "grandes colheitas" usando um método que se chama fermentação lática. Neste caso, a palavra lacto não se refere ao leite animal e seus derivados, mas sim ao lactobacilo que é responsável por converter os amidos e açucares dos vegetais em ácido lático. Além de inibir as bactérias responsáveis pelo apodrecimento do alimento, o ácido lático promove o crescimento de boa flora no intestino dando um grande impulso para o sistema imunológico. Trazendo fermentação para nossas mesas, aumentamos as quantidades das vitaminas B, omega-3 e enzimas da digestão, que ajudam nosso corpo absorver mais vitaminas e minerais do que conseguimos absorver sem fermentação. Pra quem é vegetariano, é indispensável alimento fermentando na dieta!

Mais um momento de intensa coleta de material orgânico para irmos nos "distraindo" com a famosa compostagem. É relvado, lenha e material turfoso que não se acaba mais! Somos sempre agraciados com as muitas podas que vamos fazendo em árvores e arbustos aqui da área. Pegamos uma parte da galhada pra passar pela picadeira e o material mais grosseiro pode tornar-se estrutura pra canteiro ou ainda passar um bom tempo empilhado transformando-se em húmus!

logo redeapa

www.000webhost.com